Debate

30

Junho

2021

18h00 - 20h00

Online

No âmbito da série de debates "Como descolonizar as nossas cidades?, 30.06. - 01.07. 2021

Políticas e práticas de memória para a cidade como um todo

Que estratégias existem em Hamburgo, Lisboa e Barcelona para lidar com os vestígios coloniais e criar contra-narrativas no espaço urbano? Carsten Brosda, senador da Cultura e dos Media de Hamburgo, Catarina Vaz Pinto, vereadora da Cultura de Lisboa, e Jordi Rabassa Massons, vereador da Memória Democrática de Barcelona, apresentam as suas estratégias e depois discutem-nas com a política e activista Beatriz Gomes Dias e com o membro do Conselho Consultivo para a Descolonização de Hamburgo, Kodjo Valentin Glaeser.

Moderação: Joshua Kwesi Aikins (Universidade de Kassel)

+-

Biografias

Beatriz Gomes Dias 

É socióloga, professora convidada da ESE-IPS e investigadora no CIES-IUL. As desigualdades sociais perante a escola são o seu principal domínio de pesquisa, com particular enfoque nos processos de exclusão e racismo institucional que tocam os afrodescendentes na sociedade portuguesa. Foi coordenadora do projecto "Roteiro para uma Educação Antirracista" (Setúbal, 2019), cocoordenou a 7ª Conferência Afroeuropeans: “In/Visibilidades Negras Contestadas” (Lisboa, 2019) e tem participado ativamente no debate académico e público sobre o racismo em Portugal´. 

Carsten Brosda

O doutor Carsten Brosda é senador do Ministério da Cultura e dos Media da Cidade Livre e Hanseática de Hamburgo e presidente do Deutscher Bühnenverein [Associação Alemã de Teatros e Orquestras]. Preside ainda ao Fórum Cultural da Social-democracia e co-preside à Comissão de Política dos Media e Internet do SPD.

Catarina Vaz Pinto   

É licenciada em Direito pela Universidade Católica Portuguesa (UCP), Lisboa. Pós-graduada em Estudos Europeus, Colégio da Europa, Bruges. Vereadora da Cultura/Câmara Municipal de Lisboa (desde Novembro 2009). Gestora cultural. Consultora independente na área das políticas e do desenvolvimento cultural, formação cultural e artística. Coordenadora Executiva do Programa Gulbenkian Criatividade e Criação Artística/Fundação Calouste Gulbenkian Consultora da Quaternaire Portugal, SA, na área de projectos e políticas culturais Directora-executiva e docente da Pós-graduação em “Gestão Cultural nas Cidades” do Instituto para o Desenvolvimento da Gestão Empresarial - INDEG/ISCTE. Secretária de Estado da Cultura, Adjunta do Ministro da Cultura Co-fundadora da Associação Cultural Fórum Dança, da qual foi Directora- executiva.

Cristina Roldão 

É socióloga, professora convidada da ESE-IPS e investigadora no CIES-IUL. As desigualdades sociais perante a escola são o seu principal domínio de pesquisa, com particular enfoque nos processos de exclusão e racismo institucional que tocam os afrodescendentes na sociedade portuguesa. Foi coordenadora do projecto "Roteiro para uma Educação Antirracista" (Setúbal, 2019), cocoordenou a 7ª Conferência Afroeuropeans: “In/Visibilidades Negras Contestadas” (Lisboa, 2019) e tem participado ativamente no debate académico e público sobre o racismo em Portugal´. 

Jordi Rabassa Massons 

É um historiador catalão, um ativista político e Vereador para a Memória Democrática do Ajuntament de Barcelona. CTem sido membro da direção da Associação de Residentes de Sant Andreu de Palomar, do Centro Histórico (Casc Antic) de Barcelona, bem como do Centro de Estudos Ignasi Iglésias. Entre 2015 e 2019 trabalhou como conselheiro técnico da Ciutat Vella, para o Ajuntament de Barcelona. Desenvolveu ainda atividades como editor e como editor-chefe  da revista Sant Andreu de Cap a Peus. Foi coautor de muitos livros. 

Kodjo Valentin Glaeser

É um ativista negro e jornalista independente. Participa na Initiative Decolonize Bismarck, é membro da Comissão Consultiva da ISD (Initiative Schwarze Menschen in Deutschland [Iniciativa Pessoas Negras na Alemanha], bem como ainda do Conselho Consultivo para a Descolonização de Hamburgo.


Video do evento